Prefeitura de Macapá firma parceria com concurso de beleza LGBTQIA+ do Amapá

Município garantirá iluminação, som, transmissão e estrutura do evento

A Prefeitura de Macapá confirmou apoio na realização do 8º Miss Amapá Gay Oficial, concurso de beleza marcado para o dia 26 de janeiro, em Macapá. O objetivo da organização é promover a interação comunitária e cultural, além de fortalecer o evento para as próximas edições. A disputa contará com representantes de 12 municípios.

Após reuniões com coordenador do concurso, Clézio Vilhena, o Município firmou parceria e garantiu iluminação, som e transmissão do evento em tempo real. A estrutura será disponibilizada através da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult) e do Instituto Municipal de Turismo (Macapatur).

Em função das medidas sanitárias, são esperadas cerca de 250 pessoas para o evento, que contará ainda com a presença da Miss Brasil Gay 2021, Antonia Gutierrez, de Recife (PE), além da última campeã amapaense, Davina Beltrão, que repassará o título à próxima vencedora.

A campeã representará o Estado do Amapá no concurso Miss Brasil Gay 2022, que acontecerá em agosto, em Juiz de Fora (MG).

Prefeitura empossa novos conselheiros municipais de Direitos da População LGBT+

Na segunda-feira (17), a Prefeitura de Macapá, através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SemDH) e Coordenadoria Municipal de Políticas de Diversidade, empossa os novos conselheiros representantes da sociedade civil e poder público do Conselho Municipal de Direitos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Travestis (CMLGBT), para o biênio 2022/2024.

O prefeito de Macapá, Dr. Furlan, que presidiu a cerimônia, destacou o compromisso da gestão com toda a população macapaense e nos direitos pertencentes a todos.

“Sabemos da importância desse momento, por isso, marcamos de imediato esse evento. Buscamos englobar todos os segmentos na nossa gestão, todos terão respeito. Estamos buscando construir políticas públicas que atendam os diretos da população LGBT+”, disse.

A eleição, que ocorreu no fim do mês de novembro, teve a disposição de 2 vagas para cada  segmento pertencente ao CMLGBT para titulares e suplentes. O edital publicado foi lançado no inicio do mês de novembro de 2021 e seguiu todas as diretrizes exigidas para a realização da eleição. A gestão do Conselho anterior montou uma comissão eleitoral para que a eleição seguisse todas as normas do regimento interno e os novos conselheiros fossem eleitos.

“Através deste órgão colegiado conseguimos fiscalizar as políticas públicas realizadas pela Prefeitura. A partir disso, conseguimos ratificar metodologias públicas para a comunidade LGBT e promover a cidadania dessas pessoas”, pontuou a presidente do CMLGBT, Dandara Souza.

Foram preenchidas as vagas de quatro seguimentos, sendo eles: Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais. O segmento Travesti não obteve inscritos, mas futuramente haverá uma chamada pública para o preenchimento da vaga.

“É importante assumir uma cadeira enquanto pessoa trans não binária, justamente para  propor e discutir as nossas demandas que, geralmente, são esquecidas ou invisibilizadas pelo próprio movimento social, inclusive poder público. Trans e Travestis costumam ser sempre desconsideradas ou não consultadas sobre políticas públicas e poder ocupar esse órgão colegiado é um modo de avisar e convidar: estamos aqui e vamos continuar lutando pela garantia de direitos e dignidade”, contou Céu Leehi, conselheire do segmento Transexual.

Os candidatos, candidatas e candidates representantes da sociedade civil empossados foram:
Segmento Lésbico: Joanne Costa Gomes (Titular), Eliza Carla dos Santos Baía ( Titular)  Selma Simone Seixas Marinho (Suplente).
Segmento gay: Reginaldo Silva de Souza (Titular), Ruan Sanner Cavalcante da Silva (Titular)  Jhonatan Bruno Pereira Picanço (Suplente).
Segmento bissexual: Adriano Silva Santos ( Titular), Caroline Dandara Picanço Souza (Titular), Gisela Karine Silva da Silva (Suplente).
Segmento Transexual: Alexandre Morais de Oliveira (Titular), Céu Leehi (Titular), Rafaela  de Souza Mendes (Suplente).

Os candidatos, candidatas e candidates representantes do poder público municipal empossados foram:
GAB. CIVIL: Rafaela Esteffans de Sousa Mendes (Titular),  Léa Maria Araújo Souza (Suplente).
SEMAS: Luan Souza Martins (Titular), Ingridi Cristine de Lima Machado (Suplente).
SEMTRADI: Diogo dos Santos Pantoja (Suplente), Rosângela Souza Martins (Suplente).
SEMSA: Bruno Rodrigo  de Sousa Pereira ( Titular),Fernando Lima Oliveira (Suplente).
SEMPLA: Ione Patrícia Souza Santos (Titular), Adriane Valéria Picanço (Suplente).
FUMCULT: Pablo William Ferreira Sena (Titular), Sérgio Manuel Sudário Leite (Suplente.
GCMM : Beatrice Borges de Alencar (Titular), Maria Soares de Moura (Suplente).
MACAPATUR: Hilda Telles de Sousa Lima (Titular), Elzo Barreto (Suplente).
SEMED: Simone Alves de Jesus (Titular), Bruno Marcelo (Suplente).
IMPROIR: Vanderline Lorrane Ramos do Santos ( Titular), Hellen Krystina Costa de Oliveira (Suplente).

Prefeitura publica lista final de concorrentes para as eleições do Conselho LGBT+ de Macapá

21 inscritos estão habilitados a concorrerem ao pleito que vale para o biênio 2022/2024.

Por Vithória Barreto - Secretaria Municipal de Assistência Social

A Prefeitura de Macapá, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), publica nesta segunda-feira (22) a lista final dos candidatos habilitados para concorrerem às eleições do Conselho Municipal dos Direitos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CMLGBT) de Macapá.

São 21 concorrentes que poderão assumir os cinco segmentos propostos em edital: o de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A votação ocorrerá na próxima quarta-feira (24) de novembro, no auditório da Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMDH). Os dois candidatos mais votados serão titulares em cada segmento, e o terceiro mais votado assumirá a suplência.

O Conselho que representa a diversidade
O CMLGBT foi criado pelo Município em 2019, com a sanção da lei nº 2.375 do mesmo ano. A entidade tem por objetivo propor, deliberar e contribuir na normatização, além de acompanhar e fiscalizar as políticas públicas relativas aos direitos das lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, bem como toda a comunidade LGBTQIA+. Um centro permanente de debates entre diversos setores do Município.

Secretaria de Direitos Humanos recebe presidente da Rede Trans Brasil

O encontro permitiu diálogo sobre o Projeto Oportunizar, que será executado no Amapá e deve fomentar empregabilidade às pessoas trans e travestis.

Por Bruno Nascimento - Secretaria Municipal de Direitos Humanos

Nesta sexta-feira (19), a Secretaria Municipal de Direitos Humanos (Semdh) recebeu a visita da Presidente da Rede Trans Brasil, Tathiane Araújo, para planejamento de ações do Projeto Oportunizar.

A Rede Trans vem executando desde fevereiro de 2021 o projeto Oportunizar, uma iniciativa nacional de formação e empregabilidade às pessoas trans e travestis em 10 capitais do Brasil, e Macapá é uma das cidades selecionadas.

O subsecretário da Semdh, Rafael Abreu, e os coordenadores de Mulheres, Diversidade, Juventude, Idoso e Pessoa com Deficiência estiveram presentes.

“Nós temos o dever de estarmos juntos na luta por direitos a todos e a Rede Trans será uma grande aliada para a garantia desses direitos à população LGBT+, em especial às trans e travesti”, destacou o subsecretário.

Dentre as agendas e demandas que vem cumprindo em Macapá, a presidente conheceu o prédio da Semdh e a equipe que coordena a pasta. Na ocasião, dialogou sobre a importância da realização do projeto na vida das pessoas trans e travestis, além de acompanhar o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Município.

No pouco tempo que já estive aqui pude cumprir algumas agendas com gestores de Macapá e eu gostei, porque vamos conseguir muitas coisas boas em relação ao projeto. Todos se dispuseram a firmar compromisso e fazer com que seja algo sólido para nossa população trans e travesti”, pontuou Tathiane Araújo.

Prefeitura prorroga edital para eleições do Conselho Municipal LGBT+ de Macapá

Inscrições poderão ser feitas até o dia 15 de novembro exclusivamente via internet. Vocação ocorrerá no próximo dia 24 de novembro.

Por Vithória Barreto - Secretaria Municipal de Assistência Social

A Prefeitura de Macapá, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), anuncia a prorrogação das eleições de dez conselheiros para a composição da sociedade civil no Conselho dos Direitos da População de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CMLGBT) de Macapá. No novo cronograma, as inscrições poderão ser feitas até o dia 15 de novembro.

VEJA O EDITAL AQUI

“É muito importante que as políticas públicas no âmbito LGBT implementadas no Município de Macapá sejam discutidas prioritariamente por este público. Por isso, é primordial a participação de pessoas da sociedade civil que irão debater e aprovar as pautas LGBT incluídas na gestão municipal”, enfatizou o membro da comissão eleitoral, Valdinei Castro.

Para participar do pleito, os representantes da sociedade civil que se enquadram em um dos cinco segmentos (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais), devem enviar o requerimento de inscrição preenchido junto aos documentos exigidos para o e-mail do CMLGBT: cmlgbtmacapa@gmail.com.

O Conselho
O CMLGBT foi criado pelo Município em 2019, com a sanção da lei nº 2.375 do mesmo ano. A entidade tem por objetivo propor, deliberar e contribuir na normatização, além de acompanhar e fiscalizar as políticas públicas relativas aos direitos das lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, um centro permanente de debates entre diversos setores do Município.

Confira o cronograma atualizado

· 03/11 – Publicação do Edital;
· 04/11 a 15/11 – Período de inscrições e envio de documentação (Via e-mail);
· 16/11 – Publicação do resultado preliminar das/os candidatas/os habilitadas/os;
· 17/11 – Período para interposição de recursos;
· 18/11 – Período para análise dos recursos;
· 19/11 – Publicação do resultado final dos candidatos habilitados;
· 24/11 – Eleição;
· 25/11 – Divulgação do Resultado Preliminar das eleições;
· 26/11 – Período para interposição de recurso propondo a impugnação do resultado do processo eleitoral;
· 27/11 – Prazo para análise dos recursos;
· 03/12 – Publicação do Resultado Final das Eleições

Torneio de futebol feminino encerra programação do Dia Nacional da Visibilidade Lésbica

Seis grupos esportivos compostos por mulheres lésbicas disputaram o campeonato, que fez parte da programação em alusão à data comemorada nacionalmente.

Por Bruno Nascimento - Coordenadoria Municipal de Diversidade

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SEMDH), por meio da Coordenadoria Municipal de Políticas de Diversidade (COPDI), encerrou a programação do Dia Nacional da Visibilidade Lésbica com um torneio de futebol feminino neste domingo (29). A Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel) também participou da realização da atividade.

Seis times compostos por mulheres disputaram o título, que acabou conquistado pela equipe denominada “Boleiras”. Em segundo lugar ficou o time “Real Brasil”. As vencedoras ganharam kits esportivos e medalhas como premiação.

Programação
O torneio faz parte da campanha “Dia da Visibilidade Lésbica – Macapá que acolhe. #ÉSobreElas”, celebrado dia 29 de agosto. A atividade foi lançada pela gestão municipal com o objetivo de incentivar o cuidado com a saúde física e mental da mulher LBT.

“A nossa programação foi inteiramente conduzida pelas mulheres lésbicas e para as mulheres lésbicas, para que elas falem suas lutas, dificuldades e delícias de serem quem são”, destacou o coordenador municipal de Diversidade, Edem Jardim.

No sábado (28) a coordenadoria promoveu ainda uma roda de conversa sobre saúde e partilha de vivências de mulheres lésbicas em Macapá. A atividade contou com participação da poetisa Jeanny Raiol, da psicóloga Laurana Bandeira e da professora e ativista Joane Gomes. A apresentação musical ficou por conta da cantora Michele Maycoth. O momento foi transmitido ao vivo nas redes sociais da prefeitura.

Campanha em alusão ao Dia da Visibilidade Lésbica traz roda de conversa sobre saúde e torneio de futebol em Macapá

A programação acontece no fim de semana e é realizada pela Coordenadoria Municipal de Diversidade

Por Bruno Nascimento - Coordenadoria Municipal de Diversidade

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SEMDH), por meio da Coordenadoria de Diversidade, inicia campanha voltada ao Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, celebrado no domingo (29). A ação traz o tema ‘Macapá que acolhe’ e a iniciativa vem para promover o incentivo ao cuidado com a saúde física e mental da mulher, além de bate-papo sobre a vivência lésbica e atividade esportiva.

A campanha ganha espaço nas redes sociais e programação nos dias 28 e 29 de agosto. No primeiro dia, a SEMDH realiza uma roda de conversa com a ativista Joane Gomes e a psicóloga Laurana Bandeira, que falarão sobre a saúde física e mental da mulher lésbica. Na ocasião haverá um show musical com Michelle Maycoth e a programação deste dia será transmitida pelos canais oficiais de comunicação da Prefeitura de Macapá, através de uma Live que inicia às 17h.

O objetivo é motivar as mulheres a procurarem serviços de saúde que estejam acessíveis no município.

“Nós vemos a dificuldade da procura destes serviços por parte da população lésbica, por diversos motivos. Às vezes por falta de um acolhimento humanizado, desconforto, preconceitos e etc. Então queremos que estas mulheres se sintam bem na procura por estes serviços, nosso foco é garantir o direito de todos”, ressaltou o Coordenador Municipal de Políticas de Diversidade, Edém Jardim.

No domingo acontece o Torneio de Futebol ‘É sobre elas’, que será disputado com times femininos. A atividade acontece na sede da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf), na zona sul de Macapá. A ação inicia às 14h e será feita em parceria com a Coordenadoria Municipal de Desporto e Lazer (Comel) e vem para garantir a inclusão dos grupos esportivos LGBTQIA+ nas atividades do município.

Acolhimento
A campanha promovida pela SEMDH também destaca os serviços oferecidos às mulheres lésbicas através do Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram), nas zonas norte e sul. Os espaços contam com os serviços de acolhimento e atendimento humanizado às mulheres lésbica, bissexuais, transexuais e travestis, além da oferta de serviços de atendimento psicossocial, pedagógico, de orientação e encaminhamentos jurídicos necessários à superação da situação de violência. O atendimento pode ser agendado, de segunda-feira à sexta, das 8h às 18h, no número (96) 9117- 8137.