‘O basquete e o tênis de mesa me fizeram despertar para a vida’, disse paratleta após criação do Comitê Paradesportivo de Macapá

O Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi criado em setembro de 2021.

Por Bruno Monteiro - Secretaria Municipal de Comunicação Social

Foto: Arthur Pantoja

Kleverton Barbosa é paratleta do basquete em cadeira de rodas desde 2009 e do tênis de mesa desde 2017 e contou que conheceu os esportes graças a reportagens de TV. “A criação do Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi uma ideia brilhante, pois dá visibilidade ao paradesporto e centraliza nossas demandas e dificuldades. A Comel é acessível e sensível à causa do esporte. Para mim, a parceria com a prefeitura é muito boa!”, contou.

A Prefeitura tem apoiado a prática de esportes por pessoas por algum tipo de deficiência, seja motora, auditiva, visual ou física. O Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi criado em setembro de 2021. Para o prefeito de Macapá, Dr. Furlan, a iniciativa permite incentivar, principalmente, o esporte na base escolar.

O primeiro festival paraolímpico ocorreu na Praça do Barão, no dia 18 de setembro, e os paratletas jogaram goalball, futebol de amputados e basquete cadeirante. No final, todos receberam medalhas de participação. Alguns desses competidores, como Wilton Barros, do futebol de amputados, e Cleison Afonso, do goalball, contaram como comeram no esporte.

Realizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, no dia 4 de dezembro o evento foi voltado para crianças e adolescentes e apoiado pela Prefeitura de Macapá, através das coordenadorias municipais de Esporte e Lazer e da Pessoa com Deficiência e Idoso e secretarias municipais de Direitos Humanos e de Educação. Mais de quarenta crianças e adolescentes participaram, além da presença de Pablo Souza, medalhista paraolímpico que representou o Amapá em São Paulo.

Leonam Pinheiro também é jogador de basquete em cadeira de rodas e tênis de mesa e revelou que pratica ambos esportes há mais de cinco anos e que já viajou para São Luís, Fortaleza e Belém para disputar campeonatos. “O basquete e o tênis de mesa me fizeram despertar para a vida, pois achava que ela tinha acabado. Foi onde me destaquei e aprendi muito. Esporte é vida, é saúde, é educação. É tudo! Achei a iniciativa muito importante porque, antes, o paradesporto não tinha nenhum apoio do poder público e agora temos. Vamos ter mais visibilidade”, finalizou Leonam.

“O Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi criado como ferramenta de fortalecimento e fomento de esporte em Macapá. Vamos fazer o 2º Festival Paralímpico esse ano, que vai entrar para o calendário de eventos municipais. Dar visibilidade ao paradesporto através de competições é a forma que temos de apoiar os paradesportistas”, explicou Cleudo Trindade, coordenador da Comel.

Arenas de gramado sintético revitalizadas pela Prefeitura de Macapá são inauguradas nos bairros Laguinho e Murici

Obras são resultado de emenda parlamentar federal e contrapartida do executivo municipal. Um 8° campo será inaugurado ainda em 2021.

Por Bruno Monteiro - Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel)

A Prefeitura de Macapá, através da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel), inaugurou duas arenas de gramado sintético na capital. A primeira foi a Paulinho Tupinambá, na praça Chico Noé, no bairro Laguinho, e a segunda foi a do bairro Murici.

Os locais receberam, além do gramado, pintura, drenagem, iluminação, revitalização das arquibancadas e da cabine. As obras foram executadas pela Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana (Semob) e custaram R$ 1,4 milhão com recursos destinados pelo senador Davi Alcolumbre mais contrapartida municipal. A arena Paulinho Tupinambá teve investimento R$ 1,1 milhão, já para a Murici foram R$ 368 mil.

“Contamos com um verdadeiro time trabalhando em conjunto, com sintonia, empenho e dedicação. As secretarias municipais de Obras, de Iluminação Pública e de Esporte e Lazer planejaram e executaram toda a revitalização das arenas, tudo com muito carinho. Incentivar e fornecer estrutura adequada para a prática de esportes e atividades físicas é investir na qualidade de vida e saúde dos munícipes”, destacou o prefeito Dr. Furlan.

Na abertura da arena Murici foram entregues kits com pares de luvas, de caneleiras e capacetes aos alunos do projeto social de muay thai do combatente Pezão.

O campo de gramado sintético da praça Chico Noé recebeu o nome Paulinho Tupinambá, em homenagem a um assíduo e conhecido frequentador do lugar. Na ocasião, Gabriel Pacheco, filho do homenageado, contou que a ideia de chamar a arena dessa forma foi do vereador de Macapá Nelson Souza.

“Meu pai partiu aos 56 anos, mas deixou um legado. Quando você deixa um legado, você não foi uma pessoa qualquer, você construiu uma história que merece ser respeitada. Estou radiante e agradeço em nome da minha família a todos os presentes, pelo respeito, carinho e admiração. ‘O teu pai foi um grande homem, ele sempre lutou para se tornar um grande homem’, os mais próximos dele me diziam. E ele se tornou. Uma homenagem como essa não tem preço, é a coroação de uma trajetória dedicada à cultura e ao esporte”, disse Gabriel.

“Ficou muito boa a arena. Antes era um chão duro, de terra. O Paulinho Tupinambá jogou no Guarani, era um frequentador aqui da praça e solicitei ao prefeito que inaugurasse a arena com o nome dele. Agora ele está imortalizado aqui”, contou o vereador Nelson Souza.

“Está bem acessível e muito boa de jogar. Não jogávamos aqui desde 2019, era só areia esse campo. Com a grama sintética, melhorou muito, é mais confortável!”, elogiou Antony Freitas, 13 anos, jogador do Futuros Camisas Sete.

“Hoje é motivo de muita festa, algo inédito na gestão pública. São sete arenas de gramado sintético entregues e haverá uma oitava na Fazendinha. A nossa alegria é poder transformar sonhos em realidade. Foi determinação do prefeito Furlan que todo nós trabalhássemos para restaurar essas arenas e a emenda parlamentar do senador Davi Alcolumbre, que apostou no esporte e por isso está acontecendo. Mostra a competência da gestão que trabalhou e buscou recurso. Os moradores do Laguinho e do Murici estão muito felizes com a entrega dessas arenas”, declarou o coordenador da Comel, Cleudo Trindade.

2º Jogos Abertos: Prefeitura de Macapá encerra atividades de 2021 com Torneio de Artes Marciais

Participantes eram crianças e adolescentes de projetos sociais da capital, que receberam kits com material esportivo e medalhas.

Por Bruno Monteiro - Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer

Técnica, suor, vontade de vencer, ataque, defesa, contra-ataque, vitória e derrota. Foi isso que foi visto nos dias 14 e 15 de dezembro durante o Torneio de Artes Marciais, realizado pela Prefeitura de Macapá através da Coordenadoria de Esporte e Lazer (Comel). A programação fez parte do projeto 2º Jogos Abertos, marcando o encerramento das atividades do mesmo.

O torneio foi realizado no ginásio esportivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (IFAP) e contou com a participação de mais de mil atletas de diferentes tipos de luta: capoeira, karatê, boxe, muay thai, judô e jiu jitsu. O objetivo do campeonato foi promover e incentivar a prática de artes marciais.

Após a cerimônia de abertura com discursos de autoridades, como o prefeito de Macapá, Dr. Furlan, o coordenador da Comel, Cleudo Trindade e o vereador Edinoelson Careca, o primeiro dia de competição iniciou, com os lutadores de jiu jitsu e judô mostrando suas técnicas. A maioria crianças e adolescentes oriundos de projetos sociais, como Cangapé, Tatame para Todos, Quilombo Brasil e Heróis da Fé.

Por falar em tatame, três foram disponibilizados na quadra para a exibição das lutas, que iam desde crianças de três e quatro anos de idade até adolescentes de 16 e 17 anos. Ao final das lutas, os atletas recebiam medalhas de premiação.

“O Torneio de Artes Marciais promovido pela Prefeitura foi um sucesso! Mais de 50 projetos sociais participaram do evento, levando crianças e jovens atletas para competir em diversas modalidades. Me sinto revigorado em vê-los animados e envolvidos nessa vida desde cedo’’, destaca o prefeito de Macapá, Dr. Furlan.

‘’O coordenador Cleudo Trindade acompanhou de perto todo o evento e mandou muito bem na organização. Agradeço também ao senador Davi Alcolumbre pela emenda parlamentar que possibilitou a aquisição de equipamentos. Acredito no poder do esporte e vamos continuar incentivando a prática de todos eles em nossa cidade”, complementa.

Artes Marciais
O judô surgira no Japão, em 1882, pelas mãos de Jigoro Kano. Jennifer Oliveira, 17 anos, é uma aluna dessa arte. “Pratico judô há quatro anos, aprendi com meu professor, o Cleber Barsan. Me ‘encontrei’ no judô, pois era muito bruta e eufórica. No esporte, aprendi disciplina e respeito. Já participei de dois torneios. No primeiro fiquei em terceiro lugar, que era uma seletiva estadual, e no segundo fiquei em segundo lugar”, conta a atleta.

O Jiu-Jitsu (ou Jujutsu) também viera do Japão e Thiago Pereira, 18 anos, do projeto Tatame para Todos, contou um pouco de como começou a praticar a arte marcial. “Comecei a gostar do Jiu-Jitsu por causa dos torneios que via na internet, alguns amigos meus faziam e resolvi praticar também, a arte marcial me ensinou uma forma melhor de viver. Pratico há três meses e aprendi com o professor Fabrício. O esporte me ajudou a me manter afastado de muitos problemas ao meu redor”, revela.

Competição
No segundo dia de competição, aconteceram as lutas de muay thai, boxe, capoeira e karatê. Dessa vez, havia um ringue para as lutas das duas primeiras modalidades e um tatame para as lutas das duas últimas.

Os alunos de capoeira abriram o evento com muita música, cantoria e movimentos. As crianças se limitavam a fazer giros com o corpo e chutes de longe. Já os adolescentes eram mais ousados: faziam cambalhotas e tentavam acertar o oponente. Por vezes eles conseguiam e derrubava-os, mas nada fatal e a exibição continuava normalmente.

Dividida em dois tipos, regional e angolana, a capoeira pode ser considerada um manifesto cultural, uma dança ou uma luta. Não há registros oficiais sobre o surgimento da capoeira no Brasil, apenas tradição oral de que surgiu com a vinda dos africanos.

Segundo a atleta Andressa Gomes, de 20 anos, a capoeira ajudou em situações perigosas. “Houve uma vez, há alguns anos, que eu estava voltando da escola e um rapaz tentou me assaltar, começou a me bater e, graças a capoeira, consegui me defender e escapar daquela situação’’, explica.

O esporte chegou ainda mais cedo na vida de Andressa, que integra o Quilombo Brasil. A capoeira contribuiu na melhora da saúde mental e a física. ‘’Quando era criança, não entendia a arte, virava para minha mãe e falava ‘Aquele pessoal de roupa branca, bonito, jogando!’. Só entendi com treze anos. No ano seguinte, minha mãe me inscreveu na capoeira porque ficava muito tempo em casa, não gostava de sair e interagir. Mas depois que comecei a praticar, melhorei muito, consigo conversar melhor e fazer amizades”, reforça a atleta.

Lutas
O boxe e o muay thai, também conhecidos como pugilismo e boxe tailandês, respectivamente, são artes marciais parecidas e suas diferenças são pouco notadas. A principal é o uso das penas para ataque e defesa: na primeira, não se usa. Na segunda, sim. Suas origens remontam à Grécia antiga e Tailândia. A ideia de ambas lutarem em ringue veio dos romanos, que desenhavam um círculo no chão para os adversários duelarem.

O professor de boxe da equipe Heróis da Fé, Mateus de Oliveira, destaca a empolgação dos alunos para o primeiro evento. “Fundei o Heróis da Fé há um ano e três meses e sou desportista desde 2005. Comecei na capoeira, passei pelo muay thai e agora luto boxe. É o início de uma nova jornada para os meus alunos, é o primeiro evento deles, pois não há muitos de boxe em Macapá’’, disse.

Estreante no ramo das competições, a aluna de muay thai do projeto Campeões do Futuro, Cleonice Souza, de 15 anos, amou a adrenalina. “Esse é meu primeiro torneio. Faço muay thai há seis meses. Conheci a arte por causa do meu irmão que fazia. Ele me convidou para praticar, fui e gostei”, afirma.

No karatê não foi diferente, com várias histórias de pessoas que vivem o esporte, como o caso do Robson Felipe, de 16 anos, lutador de karatê desde os 7 anos.

“Aprendi karatê com vários senseis (professores). Minha irmã quem me levou para ver os caratecas praticando e me encantei. Quis experimentar e continuei. Ganhei diversos torneios, campeonatos e medalhas: sou tricampeão de karatê na modalidade Junior. Ganhei quatro medalhas de outro, uma de prata e uma de bronze em torneios estaduais. Participei também de torneios em Breves e em Goiânia. Nesse último, fui campeão e medalha de prata em um campeonato de clubes”, comemora.

Fomento ao esporte
De acordo com o coordenador da Comel, Cleudo Trindade, o esporte tem a capacidade de transformar vidas. “Nossa intenção era terminar o ano fomentando o esporte. No torneio, entregamos materiais para quem não tem, pois nem todo atleta tem condições de comprar material. As artes marciais são muito praticadas em nosso estado, através de projetos sociais. Há, na capital, grupos de todas as modalidades, como vimos no evento. Todos os desportistas que estavam participando receberam seu kit e sua medalha, independente de ganharem ou perderem na arena. No final, todos saem vencedores”, finaliza.

Prefeitura realizará 1º Torneio de Artes Marciais de Macapá

Além das medalhas para o campeão e o vice de cada modalidade, lutadores também receberão kits com equipamentos e acessórios.

Por Bruno Monteiro - Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel).

O Instituto Federal do Amapá (IFAP) será palco, nos dias 14 e 15 de dezembro, das 14h às 20h, do Torneio de Artes Marciais realizado pela Prefeitura de Macapá, através da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel). O evento faz parte da segunda edição do projeto Jogos Abertos e tem como meta promover e incentivar a prática de artes marciais.

O torneio será disputado nas seguintes modalidades: judô, jiu jitsu, boxe, capoeira, muay thai e karatê. Cerca de mil lutadores participarão do campeonato e a premiação será de medalhas para o campeão e o vice. Todos, porém, receberão um kit com equipamentos e acessórios, adquiridos com emenda parlamentar do senador Davi Alcolumbre.

No primeiro dia do torneio (14), depois de cerimônia de abertura, haverá lutas de jiu jitsu e judô. No segundo dia (15) as demais modalidades: boxe, capoeira, muay thai e karatê. Para isso, os lutadores terão três tatames à disposição para as disputas. Os participantes são crianças de oito anos até adultos.

Segundo o coordenador da Comel, Cleudo Trindade, o evento será um momento histórico para os projetos sociais de artes marciais, onde o atleta poderá apresentar suas habilidades e, ainda, receber kits para as atividades esportivas da sua modalidade.

“Quem não tiver kimono vai ter o kimono, o clube que não tiver tatame vai ter o tatame, quem luta boxe vai receber material do boxe, do muay thai, etc. A Prefeitura de Macapá vai fomentar o esporte no pós-pandemia nesse encontro entre lutadores e famílias. O prefeito queria muito que o ano terminasse com essa programação esportiva, um torneio de artes marciais”, contou o gestor.

Final da Copa da Libertadores: Prefeitura de Macapá une torcedores em transmissão no Complexo do Araxá

A exibição do jogo entre Palmeiras e Flamengo foi feita na concha acústica do complexo, reunindo centenas de amantes de futebol.

Por Naiara Milhomen - Fundação Municipal de Cultura

Grupos de amigos, famílias, torcidas organizadas e muita energia e alegria estavam presentes no sábado (27), na concha acústica do Complexo do Araxá, durante a transmissão da partida final da Copa Libertadores. Evento foi promovido pela Prefeitura de Macapá, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult).

Torcedores e empreendedores locais aproveitaram um telão de led de 7x3m, transmitindo a disputa entre Palmeiras e Flamengo, direto dos campos do Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai.

“Pensamos na transmissão a fim de proporcionar um momento de lazer e diversão à nossa população e nada melhor do que fazer isso através do esporte, com a transmissão da final da Libertadores. Cada detalhe foi planejado para dar segurança aos torcedores, empreendedores e demais pessoas que estão acompanhando”, disse o prefeito, Dr. Furlan.

A apresentação do evento foi no estilo Fan Fest, que garantiu a diversão dos torcedores antes do jogo, nos intervalos e na festa de comemoração. A iniciativa, além de promover um momento de lazer aos macapaense, também fomentou a economia local e  de acordo com o empreendedor Raimundo Teixeira, a transmissão garantiu uma renda extra.

“A gente estava precisando da uma guinada em nossas vendas e com a transmissão foi possível vender muito mais”, disse.

Toda organização e logística da transmissão foi feita pela Fumcult e, de acordo com o diretor-presente do órgão, Olavo Almeida, foi possível entregar um evento seguro e organizado à população.

“Pedimos o apoio da Polícia Militar, da Guarda Municipal, Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá [CTMac], Corpo de Bombeiros Militar e de nossas secretarias municipais, que foram responsável pela limpeza do local, iluminação e organização dos espaços”, afirmou.

“As pessoas vieram e se confraternizam independentemente do resultado. Estamos felizes com o evento que foi um presente para nossa população”, completou Olavo Almeida.

Futlama: reta final do campeonato leva amantes do esporte à orla de Macapá

O campeão desta edição garante os títulos 2020 e 2021, já que no ano passado não houve o torneio. Partidas seguem até 19 de dezembro.

Por Bruno Monteiro - Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer

Foto: Arthur Pantoja

Clima mais ameno e nuvens mais escuras no céu neste domingo (21) não foram motivos para os amantes do Futlama irem à campo correr atrás de gols na reta final do campeonato. A modalidade movimenta esporte local com prática às margens do Rio Amazonas que unem futebol e o jeito nortista de abraçar o esporte e lazer na capital. Programação é realizada pela Federação Amapaense de Futlama com o apoio da Prefeitura de Macapá, através da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel).

Ao lado do trapiche Eliezer Levi e com a orla da Zagury ao fundo, os jogos do Campeonato Amapaense de Futlama ocorreram com duas arenas montadas e vinte e quatro jogos, que seguem até a alta da maré. Ao todo dezoito partidas de times masculinos e seis de times femininos animaram torcidas nos últimos meses.

O destaque deste domingo foi a partida que terminou com um placar de Copa do Mundo – o famoso 7 a 1 – onde quem levou a melhor foi o Tubarão Branco sobre o Mexilhão.

Como o nome dos times chama a atenção, as partidas tiveram ainda as equipes masculinas: Trairão contra Matinta Pereira; Tubarão enfrentando Jacaré Tinga; Turu Real em campo com Curió; Puraque disputando com Sarara; Curupira contra Juçara, Piau jogando contra Tarumã; Cação e Uruá; Arraia e Cachorro de Padre; Jaguar enfrentado Lobo Guara; Pacu e Jacuraru; Mexilhão contra Tubarão Branco; Beta Azul e Sangue Suga; Sarapó e Maçarico; Boto Cor de Rosa em campo com Tiririca; Peixe Espada e Marreco; Acapú e Águia; Copaíba contra Filhote; e Beija Flor enfrentando Pintado.

Já das equipes femininas jogaram Lagosta contra Piranhas, Tubarão e Flor de Lis, Água Marinha enfrentando Maçarico, Jacuraru e Alcateias, Filhote contra Abacaxi e Tucunaré contra Jacundá.

“Mesmo depois de muita chuva aconteceu mais uma rodada do Futlama, tanto masculino quanto feminino, pois reconhecemos a importância de levar entretenimento através do esporte. É papel do poder público valorizar essa modalidade que é nossa e todo o segmento esportista participa”, afirmou o coordenador municipal de Esporte e Lazer, Cleudo Trindade.

“A equipe que ganhar, além de levar a premiação, vai ser bicampeã, pois esse torneio vale por 2020 e 2021, já que não conseguimos realizar o campeonato ano passado por conta da pandemia. Gostaria de agradecer a Prefeitura de Macapá que tem sido parceira da Federação de Futlama”, disse Mário Frota, presidente da Federação Amapaense de Futlama.

Campina de São Benedito e PSV são os campeões do 44º Torneio Interdistrital

Torneio é o maior evento esportivo da Prefeitura de Macapá. Estádio Zerão sedia finais do evento pela primeiríssima vez.

Por Bruno Monteiro - Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer

O Estádio Olímpico Zerão foi palco dos jogos finais do 44º Torneio Interdistrital de Futebol. Realizado pela Prefeitura de Macapá, através da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel), as 39 partidas foram divididas em três dias: 12, 13 e 14 de novembro e disputadas por 21 times masculinos e 18 femininos, totalizando 744 atletas. Cada disputa tinha dois tempos de vinte minutos cada e dez minutos de intervalo. O primeiro dia contou com discursos de autoridades realizadoras e parceiras do evento.

“É um momento histórico para o esporte macapaense poder trazer, depois de 44 anos, as finais do Torneio Interdistrital pela primeira vez para dentro do Estádio Olímpico Zerão. Esse campeonato agregou a sociedade e movimentou a economia dos distritos, gerando renda para diversas famílias. Parabéns aos atletas participantes e agradeço a todos que trabalharam para o sucesso do evento. Que vençam os melhores!”, escreveu o prefeito Dr. Furlan, em uma rede social.

Os destaques do primeiro dia foram os jogos de Lagoa de Fora x PSV (feminino) e São Tomé x Prainha (masculino). No primeiro jogo, o PSV goleou o adversário por 7 a 0. No segundo, o placar foi de 6 a 7 em disputa de pênaltis. No segundo dia, com as equipes femininas disputando mais jogos, o Santa Cruz, também de Tracajatuba, ganhou o São Joaquim A por 5 a 4 nas penalidades. Pelo masculino, vale ressaltar o jogo entre Santa Luzia x São José do Maruanum: vitória do primeiro por 2 a 0.

“É o maior evento esportivo da Prefeitura de Macapá, envolve a Guarda Civil Municipal, a Secretaria Municipal de Mobilização e Participação Popular e os demais secretários municipais. Trazer quase mil pessoas para uma competição dessa requer união e esforço de toda a prefeitura. Ficamos felizes em proporcionar esse momento para as pessoas que estão vindo dos distritos, seja de barco, de ônibus, de canoa, etc. Gostaria de agradecer ao Governo do Estado, a Secretaria Estadual de Desporto e Lazer, que liberaram o estádio para a realização dessa grande festa. Terminar a competição no meio do mundo é motivo de muita satisfação e alegria para a prefeitura”, declarou Cleudo Trindade, coordenador municipal de Esporte e Lazer.

No terceiro e último dia, depois de dez jogos, as finais foram disputadas entre os times PSV x Igarapé do Meio (Bailique) e Campina do São Benedito x São Joaquim, feminino e masculino, respectivamente. Em competições apertadas, com as torcidas fazendo muito barulho a cada lance perto do gol, saíram vitoriosos o PSV e o São Benedito. Em ambos os jogos, cada time ganhou nos pênaltis, pois haviam empatado no tempo normal de jogo. Os campeões foram premiados com a quantia em dinheiro de R$ 5 mil, troféu e medalhas. Já os vice-campeões ganharam R$ 3 mil, troféu e medalhas. O Ressaca da Pedreira (feminino) e o Prainha (masculino) ficaram em 3º lugar, ganhando a quantia de R$ 2 mil, troféu e medalhas.

“É uma sensação inexplicável, uma emoção grande ser campeão do Interdistrital, a ficha vai cair talvez amanhã. É um campeonato difícil, mas temos uma equipe muito boa e fomos muito bem. Fomos campeões em 2003, fizemos história no Glicério Marques e hoje viemos fazer história no meio do mundo”, revelou Nelson Costa, jogador e capitão do Campina do São Benedito.

“É uma emoção indescritível! Quero agradecer a Deus porque as orações foram muitas e fortes, à minha equipe que nunca desistiu e foi muito guerreira e à Prefeitura por nos proporcionar esse momento. Foi um evento maravilhoso, só quem joga o Interdistrital sabe o que estou sentindo hoje. PSV é tricampeã do Interdistrital!”, comemorou Daniele Quaresma, jogadora e capitã do PSV.

Estádio Zerão será palco da rodada final do 44º Torneio Interdistrital de Futebol da Prefeitura de Macapá

Jogos serão divididos em três dias e contará com a participação de 744 atletas.

Por Bruno Monteiro - Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer

Foto: Arthur Pantoja

A Prefeitura de Macapá, através da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel), realizará nos dias 12, 13 e 14 de novembro, no Estádio Olímpico Zerão, das 8 às 23h, os jogos finais do 44º Torneio Interdistrital de Futebol 2020.

Participarão das finais 39 comunidades, sendo 21 masculinas e 18 femininas. O torneio é o maior do estado e contou com a participação de 170 comunidades.

Segundo o coordenador da Comel, Cleudo Trindade, a competição integra comunidades, proporciona lazer aos macapenses e movimenta a economia.

“Ter o Zerão como local do torneio reafirmo a grandiosidade desse evento, que tem movimentada distritos, comunidades e muitos cidadãos em volta do esporte, desde os ambulantes às gráficas e costureiras que confeccionam os uniformes. Macapá terá um espetáculo de futebol”, frisou o gestor.

Futlama: Campeonato Amapaense volta a movimentar orla de Macapá

Competição havia sido suspensa por conta da pandemia da Covid-19 e retornou com mais de 50 times inscritos em 2021.

Por Bruno Monteiro - Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer

Começou neste domingo (7) o Campeonato Amapaense de Futlama, realizado pela Federação Amapaense de Futlama, em parceria com a Prefeitura de Macapá, através da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel). As partidas aconteceram em duas arenas montadas ao lado do Trapiche Eliezer Levi e seguiram até a alta da maré. O objetivo da competição é chamar a atenção do público e das autoridades para a conservação do meio ambiente e do Rio Amazonas, além de promover a integração através do esporte.

O campeonato vai até o dia 19 de dezembro e é disputado por 56 times, sendo 40 masculinos e 16 femininos. No domingo, na fase mata-mata, as duas arenas receberam seis partidas cada, com o time vencedor seguindo no campeonato.

Com nomes de equipes inspirados na flora, fauna e folclore brasileiro, a Arena 1 recebeu os times: Trairão, que enfrentou a Matinta Pereira; Lagosta contra Piranhas no feminino; Tubarão jogou com Jacaré Tinga; Turu Real disputou com Curió e, além disso, teve ainda Puraquê contra Sarará e Curupira na disputa de bola com Juçara.

Já na Arena 2 a disputa aconteceu com Piau contra Tarumã; Jaguar enfrentou Flor de Lis no  feminino; Cação competiu Uruá; Arraia jogou com Cachorro de Padre; Jaguar x Lobo Guará e Pacu com Jacuraru.

“Em todas as rodadas fazemos o trabalho de limpeza nos locais onde são instaladas as arenas dos jogos e, ainda, nas margens do Rio Amazonas. Uma iniciativa com a participação de todos os times para a conservação do meio ambiente. O apoio da Prefeitura e da Comel é essencial para a gente e para o nosso esporte”, declarou Mário Frota, presidente da Associação Amapaense de Futlama.

“Hoje iniciou o Campeonato aqui na orla da cidade e parabenizo o presidente da federação, que não mede esforços para realizar esse evento e fortalecer o esporte na capital. O futlama é raiz e, portanto, merece o apoio da Coordenadoria”, falou o coordenador da Comel, Cleudo Trindade.

O futlama foi transformado em Patrimônio Cultural e Imaterial através da Lei 2454 de 2021, de autoria do vereador Alexandre Azevedo, sancionada pelo prefeito Antônio Furlan em maio deste ano.

Bom de Bola vence a primeira edição da Copa das Arenas de Futebol sub-13

A final aconteceu na Arena do Muca, na zona sul de Macapá, e foi disputada entre Marabaixo e Bom de Bola.

Por Ewerton França - Secretaria Municipal de Comunicação Social

Foto: Júnior Dantas

Desde setembro, a Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel) vem promovendo a Copa das de Futebol sub-13, uma competição esportiva entre projetos sociais de Macapá. No total, 21 times disputaram uma vaga na final e desses, o Bom de Bola foi o vencedor. A final aconteceu nesta sexta-feira (29), contra o Marabaixo, na Arena do Muca, na zona sul de Macapá. O placar final foi cinco a zero.

O técnico do Bom de Bola, Junior Santarém, diz que a chegada a final representa uma vitória para todos. Nosso projeto existe há seis anos e todos que jogaram hoje estão desde juntos desde o início

“Nesse momento estamos colhendo os frutos de um trabalho árduo e de muito sacrifício e chegar à final vai muito além da vitória. O que realmente importa é ver a evolução e ter a certeza de que cada jogador foi tirado de uma situação de risco de risco”, destacou.

O coordenador municipal de Esporte de Lazer, Cleudo Trindade, avalia como positiva a primeira edição da Copa das Arenas. Ele disse que ver a motivação dos jogadores e seus familiares é um dos motivos para que o evento seja novamente realizado em 2022.

“Foram mais de 520 crianças envolvidas nessa ação e junto deles estavam seus familiares que acompanhavam e vibravam a cada lance. Esse foi um marco histórico para Comel e viver isso foi marcante, nos motivando a promover uma próxima edição maior e melhor do que essa”, afirmou o gestor da Comel.

O terceiro lugar ficou com Canário, que venceu o Fazendinha por um a zero.

Após o encerramento dos jogos que definiu o vencedor, aconteceu a cerimônia de premiação, quando os quatro times receberam os troféus e as medalhas. Além disso, houve premiação em dinheiro para os três primeiros lugares.