150 dias de combate ao Coronavírus: Macapá registra queda de enterros por Covid-19, mas cuidados e campanhas de prevenção continuam

O número de enterros por Covid-19 nos cemitérios administrados pela Prefeitura de Macapá apresentou queda em junho de 2020, comparado ao mês anterior. Os dados são da Secretaria Municipal de Zeladoria Urbana, que também fez comparação dos números registrados no mesmo período do ano passado.

Em maio de 2019, 289 pessoas foram sepultadas em Macapá por causas diversas. Já este ano, no mesmo mês, os números apresentaram alta significativa. Ao todo, 594 enterros foram contabilizados, todos associados a óbitos por Coronavírus, momento em que ocorreu o pico da doença no município. A estatística mostra ainda que no ano passado, durante junho, o índice também é inferior ao deste ano. Em 2019, foram 210 enterros por causas diversas; e em 2020, 330 por Covid-19.

“Apesar da curva de óbitos ter apresentado números menores em junho deste ano, comparados ao mês anterior, não podemos associar a queda de sepultamentos por Covid-19 como se tivéssemos em uma situação normal. Hoje, chegamos a 406 vidas perdidas pelo Coronavírus. Isso não tira a gravidade do momento que estamos passando”, disse o secretário municipal de Zeladoria Urbana, Carlos Alberto Oliveira.

Total de casos = 15.996

Descartados = 11.582

Recuperados= 10.974

Em análise laboratorial = 1.281

Aguardando leitos = 0

Óbitos confirmados = 406

Óbitos em investigação = 90

Óbitos confirmados após investigação epidemiológica= 02

Mortes sob investigação epidemiológica

O acúmulo de óbitos suspeitos ainda a esclarecer ocorreu pela própria evolução da doença, ou seja, o diagnóstico vem após o sepultamento. Atualmente, 90 mortes aguardam investigação epidemiológica em Macapá, segundo dados do Departamento de Vigilância Epidemiológica do município.

“Toda pessoa que se encontra nesse quadro precisa ter essa investigação minuciosa da causa da morte pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica do Município. Nós fazemos uma busca detalhada em prontuários médicos, se houve a realização de exames, um estudo clínico e epidemiológico, que requer tempo e pessoal capacitados para que seja fechado um quadro com a determinada doença”, explicou a subsecretária de Assistência à Saúde, Tânia Vilhena.

O Ministério da Saúde prevê amparo legal de 14 meses para os estado e municípios apresentarem diagnóstico fechado dos óbitos em investigação durante a pandemia. “Apesar de termos esse tempo, o extremo ainda não chegou aqui. Trabalhamos diariamente nessa questão e estamos conseguindo atingir nossas metas”, concluiu Tânia.

Para receber informações oficiais, notícias, recomendações, estatísticas e todas as atualizações da pandemia, basta acessar o link http://macapa.ap.gov.br/coronavirus/info e preencher o formulário.

Ações de enfrentamento do Coronavírus

Apesar do achatamento da curva de casos da Covid-19 em Macapá e da queda de enterros pela doença, a prefeitura tem mantido as ações de enfrentamento à pandemia no município. A assistência à saúde da população vem sendo reforçada por meio de uma série de medidas como reforma de algumas UBS’s, criação de novas unidades específicas para o tratamento da Covid-19, distribuição de medicamentos, atendimento itinerante, entre outras.

A Prefeitura de Macapá também manteve a distribuição de máscaras para população por meio do projeto “Costurando Vidas”, renovou os decretos que proíbem aglomeração de pessoas, realização de eventos diversos, suspensão das aulas na rede municipal e ainda reforçou as fiscalizações na cidade para evitar o trânsito de pessoas sem justificativa necessária. Também tem massificado a campanha educativa sobre a importância de usar máscara, fazer a higiene das mãos com sabão e álcool gel e, principalmente, o distanciamento social para evitar a disseminação da doença.

Secretaria de Comunicação de Macapá

Mônica Silva

Assessora de comunicação