Prefeito Dr. Furlan recebe a chave da creche do Conjunto Habitacional Miracema

O espaço atenderá 376 crianças, distribuídas entre creche e pré-escola.

Por Ingra Tadaiesky - Secretaria Municipal de Educação

A creche poderá atender mais de 300 crianças | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

A Prefeitura de Macapá recebeu do Governo do Estado do Amapá, a chave da nova creche localizada no Conjunto Habitacional Miracema, na manhã desta segunda-feira (21). O espaço foi construído com recursos do Governo Federal e repassado para o município de Macapá. Participaram da cerimônia, o prefeito Dr. Furlan, o secretário de Educação, professor Rodrigo Gomes, o vice-governador eleito, Teles Jr, entre outros servidores da Educação de Macapá.

Na ocasião, o chefe do Poder Executivo Municipal comemorou a entrega da chave, e destacou os avanços que a gestão alcançou. “Quando nós assumimos, apenas duas creches funcionavam em Macapá, e hoje temos nove, e um aumento de 1.241 vagas. Vamos encerrar o ano com mais três creches!”, disse Dr. Furlan.

Com 20 turmas, 376 crianças serão atendidas, distribuídas entre creche e pré-escola. A matrícula na nova unidade será feita através de edital, as famílias residentes do Conjunto Miracema terão prioridade.

O secretário municipal de Educação, professor Rodrigo Gomes, ressalta os benefícios que a estrutura do novo espaço trará. “É uma escola totalmente adaptada, temos fraldário para trocar fraldas, refeitório, acessibilidade, ou seja, tudo para dar o maior conforto para as nossas crianças e para os nossos servidores que virão trabalhar aqui”, conta o secretário.

A creche vai somar com as outras nove sob responsabilidade da Prefeitura de Macapá | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

Mais de 4 mil estudantes realizam a prova do Sispaeap para mensurar índices educacionais

Todas as escolas municipais foram mobilizadas para o Sispaeap, que acontece pela terceira vez na rede municipal.

Por Léo Nilo - Secretaria Municipal de Educação

Mais de 40 estudantes da Emef Profª Guita realizaram a prova | Foto: Gabriel Winter/PMM

Mais de 4 mil estudantes dos muncípios do Estado do Amapá realizaram a prova do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Amapá (Sispaeap). A avaliação que ocorreu nesta quinta-feira (10), tem o objetivo de mensurar os índices educacionais dos estudantes, além de impactar sobre o repasse de recursos aos municípios.

Todas as Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) foram mobilizadas para a avaliação. No Centro de Macapá, a Escola Municipal Profª Guíta chegou a organizar medalhas e premiar mais de 40 estudantes que fizeram a avaliação na unidade.

O pequeno Antônio Marcos, de 8 anos, é um dos estudantes. Ele conta que é a primeira vez que realiza uma prova deste porte, com seus colegas. “A gente estudou muito para chegar aqui, por isso vamos dar conta. Espero que a escola consiga se destacar para ganhar o prêmio”, conta Antônio.

O estudante Antônio Marcos fez a prova com seus colegas do 2º ano | Foto: Gabriel Winter/PMM

O exame é realizado pela terceira vez, por meio da uma colaboração entre o Estado do Amapá e os municípios. Em preparação para a avaliação, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) promoveu capacitações e simulados.

A subsecretária municipal de Gestão Educacional, Simone Freitas, ressalta que as avaliações externas, como o Sispaeap, são importantes para constatar as políticas educacionais eficazes realizadas pela Prefeitura de Macapá.

“Hoje toda a rede municipal de ensino está mobilizada para garantir a presença dos nossos estudantes na avaliação. Recentemente, o município de Macapá foi uma das únicas capitais a crescer no [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica], e isso é resultado do comprometimento com a real mudança da educação municipal”, ressalta a subsecretária.

Subsecretária de Gestão Educacional, Simone Freitas | Foto: Gabriel Winter/PMM

Profissionais da educação de Macapá participam de capacitação para aplicação do Sispaeap 2022

A avaliação ocorre nesta quinta-feira (10), para mais de 4 mil estudantes municipais.

Por Eduardo Belfort* - Secretaria Municipal de Educação

Durante a capacitação, os profissionais foram instruídos nos procedimentos de aplicação da prova | Foto: Rosivan dos Santos/PMM

Nesta quarta-feira (9), mais de 100 profissionais da educação participaram de uma capacitação em preparação para a prova do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Estado do Amapá  (Sispaeap). A avaliação será aplicada amanhã (10), para mais de 4 mil estudantes do 2º ano da rede municipal.

Esta é a terceira vez que o exame é realizado, através de uma colaboração entre o Estado do Amapá e os municípios. A prova conta com questões de leitura, língua portuguesa e matemática. Todas as escolas municipais foram mobilizadas para realizar a avaliação, que tem como principal objetivo mensurar o desempenho educacional dos estudantes.

Durante a capacitação, os profissionais que irão aplicar a prova aprenderam os procedimentos que deverão ser seguidos durante a avaliação. Para a professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Hidemar Maia, Valbia Silva, este engajamento é necessário para entender e humanizar o atendimento dos estudantes.

A professora Valbia Silva participou da capacitação | Foto: Rosivan dos Santos/PMM

“Em momentos [como a prova], a criança pode ficar ansiosa e é necessário o acolhimento do avaliador. Além disso, essa avaliação é importante para entender o que está bom e o que pode melhorar”, ressalta a professora.

A capacitação desta quarta-feira se junta a diversas ações realizadas pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) em preparação para a avaliação, como a promoção de simulados.

Para a superintendente, Leyse Monick, a prova do Sispaeap é de grande importância para criar uma base de dados sobre a educação municipal. “Criar esse panorama da rede municipal, dos estudantes e da gestão é essencial, porque esses resultados vão incidir em políticas públicas educacionais”, destaca Monick.

Leyse Monick, superintendente da Semed | Foto: Eduardo Belfort/PMM

Além de informar índices educacionais, a avaliação do Sispaeap também influencia no repasse de recursos às escolas. As unidades que ficarem entre as 10 melhores colocações podem receber até R$ 80 mil.

A avaliação acontecerá nesta quinta-feira (9) | Foto: Rosivan dos Santos/PMM

*Estagiário sob supervisão da Secretaria Municipal de Educação

Premiação aos estudantes encerra a 2ª edição da Feira de Ciências, Tecnologia e Inovação de Macapá

Os três projetos de maior destaque em cada categoria foram premiados

Por Léo Nilo e Ingra Tadaiesky - Secretaria Municipal de Educação

O encerramento aconteceu no Centro de Educação Valquíria Lima, localizado no centro da cidade | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

A 2ª edição da Feira Virtual de Ciências, Tecnologia e Inovação de Macapá (FectiMac), encerrou em grande estilo neste sábado (5). Ao longo do evento, 60 trabalhos foram apresentados para os avaliadores, que celebraram as inovações e criatividade dos estudantes com prêmios e credenciais para eventos nacionais. O encerramento aconteceu no Centro de Educação Valquíria Lima, localizado no centro da cidade.

Esta foi a primeira edição da FectiMac em que a população pôde ver pessoalmente a apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos estudantes. No decorrer dos dois dias de exposição, o público assistiu a diversas apresentações das turmas da Educação Infantil, Fundamental I e II e Educação Especial.

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef), Elita Nunes Melo, foi premiada com o primeiro lugar na categoria Linguagens com o experimento “Multiplicando Saberes e Conhecimentos”. A estudante Analicy Otoni, de 7 anos, apresentou o trabalho com seus colegas e disse que aprendeu e se divertiu muito.

“A gente tentou ensinar os alunos a aprender a ler com jogos educativos. Então, foi muito legal os jogos, as atividades. Foi um momento de grande alegria ganhar essa medalha”, afirmou a criança.

A escola recebeu ainda a premiação de terceiro lugar e o título de Escola Destaque. O professor do 2° ano, Maciel Mendes, fala sobre o sentimento: “Hoje é uma noite singular da nossa história. O reconhecimento veio através de muito trabalho, não só da escola, mas também de pais que apoiaram e entenderam a importância de instigar a pesquisa e a ciência nas crianças”, diz ele.

Na ocasião, o reconhecimento chegou para além das escolas e o secretário municipal de Educação, Rodrigo Gomes, também foi contemplado com o Prêmio Tucuju destaque em educação. O secretário ressaltou que o objetivo da feira é justamente promover o interesse pela pesquisa e criatividade.

“Nós precisamos utilizar todas as ferramentas necessárias para o avanço da educação e a feira de ciências vem trazer algo especial, que é despertar ainda mais as nossas crianças para o conhecimento cada vez mais cedo”, ressaltou o secretário.

O secretário municipal de Educação, Rodrigo Gomes | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

Escolas das redes municipal e estadual de todo o país participaram da 2º edição da FectiMac e a 3ª edição já está confirmada para 2023.

Aberta as inscrições para a ‘Chamada Escolar 2023’ na rede municipal de Macapá

Podem se inscrever interessados em vaga nas creches, pré-escola, ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos.

Por Eduardo Belfort* - Secretaria Municipal de Educação

Podem se inscrever alunos da Educação Infantil a Educação de Jovens e Adultos | Foto: Rosivan dos Santos/PMM

Nesta segunda-feira (17), iniciaram as inscrições para a Chamada Escolar Unificada 2023. O processo acontece em parceria com as secretarias de Educação do estado e municípios e é voltado para estudantes que desejam ingressar pela primeira vez em uma escola municipal de Macapá, seja ela urbana ou rural.

A inscrição na Chamada é um requisito fundamental para as etapas de pré-matrícula e matrícula. Neste procedimento, o aluno sinaliza o interesse e, assim, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) pode reordenar as escolas para o próximo ano letivo. A Chamada não garante abertura de novas vagas.

Podem se inscrever interessados em vagas na Educação Infantil (creches e pré-escola), no 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental e 1ª a 4ª etapas do Ensino Fundamental na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A Chamada Escolar garante condições adequadas para o pleno desenvolvimento das unidades | Foto: Eduardo Belfort/PMM

A Chamada Escolar seguirá até o dia 17 de novembro, em regime de colaboração com a Secretária Municipal de Educação de Santana (Seme) e a do Estado (Seed).

Para os interessados em estudar nas escolas municipais localizadas nas zonas urbanas, é possível acessar e realizar o preenchimento do formulário on-line disponível em www.escolapublica.ap.gov.br. Já para os interessados em estudar na zona rural, o preenchimento do formulário pode ser feito de forma presencial na escola pretendida.

Documentação necessária
Para realizar a Chamada Escolar Unificada 2023, os pais e responsáveis precisarão do RG, CPF, comprovante de residência, e-mail e número de telefone para contato.

O estudante menor de 18 anos precisará da certidão de nascimento, CPF e carteira do SUS. Já o estudante maior de 18 anos precisará dos mesmos documentos, com acréscimo de e-mail para contato.

*Estagiário sob supervisão da Secretaria Municipal de Educação.

‘Estou estudando para ter um futuro melhor’, diz aluna da EJA em Macapá

Após anos afastada, Priscyla Morais, de 43 anos, conta sobre os benefícios de voltar à escola.

Por Léo Nilo - Secretaria Municipal de Educação

Priscyla Morais é estudante da Educação de Jovens e Adultos na escola Maestro Miguel | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

Os caminhos que levaram Priscyla Morais, dona de casa de 43 anos, de volta à sala de aula foram longos e tortuosos.  A moradora do bairro Perpétuo Socorro, na zona leste de Macapá, precisou abandonar a escola após o nascimento da primeira filha, e desde então, se viu afastada do ambiente e da rotina que tanto gostava.

Depois de 26 anos e mãe de quatro filhos, Priscyla Moraes proclama com orgulho que é estudante novamente. Para isso, ela procurou a equipe da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Maestro Miguel Alves da Silva, que oferta turmas na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“Estou estudando para ter um futuro melhor. Quero terminar meus estudos e ter orgulho de mim mesma, da minha capacidade, porque eu consigo! Desejo ser um exemplo para meus filhos e netos, para que eles vejam a importância de seguir na escola”, relata emocionada.

Priscyla interrompeu os estudos aos 17 anos, quando cursava o 8º ano do ensino fundamental. Para zelar e cuidar da família sem o diploma, ela iniciou uma carreira na área da segurança privada, que exigia muita saúde e disposição física. 

Neste período, o emprego foi suficiente para cuidar dos quatro filhos e, principalmente, garantir que todos concluíssem os estudos. Reforçar a importância da educação em casa fez com que um desejo, há muito esquecido, voltasse à tona.

“Dois dos meus filhos já se formaram. Aqui em casa, sempre reforcei com todos eles a importância de continuar na escola e fiz questão que ninguém abandonasse”, revela.

Após problemas de saúde, atualmente a trabalhadora está desempregada. Afastada da carreira como vigilante, a esperança da estudante é que, além da realização pessoal, o diploma possa trazer novas oportunidades de emprego.

“Nesses 26 anos que estive fora da sala muita coisa mudou. Estou me esforçando para aprender. Sei que é um esforço que vai valer a pena para o resto da vida, tanto para o meu futuro quanto o da minha família”, conta esperançosa.

EJA em Macapá
Dezesseis escolas da rede municipal de educação possuem turmas da EJA, para um público de mais de 1,5 mil estudantes. Na modalidade, jovens, adultos e idosos têm a oportunidade de concluir o ensino fundamental em 4 fases, cada uma com um ano de duração.

As aulas acontecem no turno noturno, das 18h às 22h. Lembrando que, todos acima de 15 anos que não completaram os estudos na faixa etária correta podem se matricular em turmas da EJA, ao longo do ano inteiro.

Na EJA, a vigilante viu a possibilidade de novas oportunidades para a sua vida. Agora, ela estuda na 4ª e última fase da modalidade e já faz planos para o futuro após a formatura.

 “Agora ensino até meu neto, que tem sete anos. Falo para ele: ‘olha meu filho, até a vovó voltou para terminar os estudos, tu tens que ser assim também. Por isso, meus filhos sentem orgulho de mim, de eu ter voltado a estudar”, explica.

Histórias como essa se repetem por todos os cantos da cidade, com estudantes inspirados a completar a trajetória escolar, que buscam garantir melhores condições de vida ou que desejam transformar a realidade social em que vivem. E para aqueles que ainda não retornaram às salas de aula, após interromper os estudos, Priscyla manda um recado:

“Tenho 43 anos e sei das dificuldades que nós, adultos sem diploma, enfrentamos. Mas estou lutando e chamo todos para fazer o mesmo. A educação é muito importante para a nossa vida, e não importa quanto tempo você ficou afastado, sempre é hora de voltar”, convida.

Turmas da EJA recebem estudantes acima de 15 anos para concluir o ensino fundamental | Foto: Arquivo/Semed

Prefeitura de Macapá entrega Escola Municipal Raimundo Alencar para comunidade do Laurindo Banha

Mais de R$ 500 mil foram investidos na reforma da unidade.

Por Léo Nilo - Secretaria Municipal de Educação

Emef Raimundo Oliveira Alencar, localizada no conjunto Laurindo Banha | Fotos: Ingra Tadaiesky/PMM

Nesta quinta-feira (22), o prefeito de Macapá, Dr. Furlan, entrega a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Raimundo Oliveira Alencar, localizada no conjunto Laurindo Banha, zona sul da cidade. Todos os espaços da instituição foram reformados para beneficiar mais de 600 pessoas, entre estudantes e profissionais da Educação.

Esta foi a primeira reforma da unidade em 20 anos. O serviço contemplou a troca de telhado, forro, piso, janelas, fiação elétrica e hidráulica. A equipe ainda construiu um jardim na entrada da escola, para proporcionar bem-estar à comunidade.

A Emef Raimundo Oliveira Alencar atende cerca de 640 estudantes, com turmas do 1º ao 5º ano. Agora, o bairro contará com espaços amplos e modernos para o aprendizado.

Para realizar a obra, a Prefeitura de Macapá investiu mais de R$ 500 mil, com verbas do Tesouro Municipal e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Ao todo, o Município investe cerca de R$ 23 milhões na revitalização de diversas escolas de Macapá. As obras fazem parte do pacote de ações do Programa de Saúde e Assistência ao Cidadão (Probem/Educação), que prevê a garantia de direitos básicos.

Prefeitura abre inscrições para 2ª Feira de Ciências, Tecnologia e Inovação de Macapá; confira edital

Evento será presencial e on-line. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 10 de outubro.

Por Eduardo Belfort* - Secretaria Municipal de Educação

Serão selecionados 60 trabalhos, dentre turmas de educação infantil, fundamental e especial | Foto: Arquivo/PMM

Neste sábado (10), iniciam as inscrições para a 2ª Feira de Ciências, Tecnologia e Inovação de Macapá (FectiMac). Serão selecionados 60 trabalhos, dentre turmas de educação infantil, fundamental e na modalidade de ensino especial. Todas as escolas do país podem submeter trabalhos para avaliação, até o dia 10 de outubro.

CONFIRA O EDITAL DA FECTIMAC

Dos 60 projetos selecionados, 10 serão para a educação infantil, 20 para ensino fundamental I e 20 para ensino fundamental II. Para a modalidade de educação especial, a grande novidade desta edição do evento, estão disponíveis 10 vagas.

O objetivo do evento é incentivar o interesse pela pesquisa, desenvolvendo a criatividade e inovação. Além disso, a ação promove a sustentabilidade e a construção do conhecimento através da prática.

Para a coordenadora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Simone Freitas, o incentivo à ciência nos anos iniciais da educação é essencial.

“A feira vem propagar a ideia de que as escolas também possam realizar projetos de pesquisa, que geralmente é algo que se aprende apenas no ensino superior”, explica a coordenadora.

Simone Freitas, coordenadora pedagógica da Semed | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

Cada projeto deverá ser acompanhado por seu professor-orientador e/ou coorientador, que também deverá realizar a inscrição. O edital com mais acessado aqui.

A feira acontece nos dias 3 a 5 de novembro, com a cerimônia de premiação no último dia.  Serão contemplados com troféus e medalhas os três melhores trabalhos apresentados pelos estudantes da Educação Especial e Infantil; no Ensino Fundamental I e II, serão os três melhores trabalhos em cada área do conhecimento.

1ª edição da FectiMac
A 1ª Feira de Ciências, Tecnologia e Inovação de Macapá foi um grande sucesso. O evento de encerramento aconteceu em novembro de 2021 e premiou os projetos que se destacaram e os profissionais que contribuem com a disseminação da ciência nas escolas.

A premiação contou com a presença de pesquisadores-mirins da rede municipal de ensino, professores-orientadores, cientistas e representantes das escolas participantes. Ao todo, foram ofertadas 50 vagas para projetos de qualquer rede de ensino.

FectiMac tem o objetivo de incentivar o interesse pela pesquisa científica nos estudantes | Arte: Arquivo/Semed

*Estagiário sob supervisão da Secretaria Municipal de Educação.

Final da 1ª Olimpíada de Matemática premia estudantes e professores de Macapá

Mais de 2 mil estudantes participaram da competição inédita na rede municipal.

Por Léo Nilo - Secretaria Municipal de Educação

Final aconteceu na Emef Hildemar Maia, localizada no bairro Trem | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

A 1ª Olimpíada de Matemática de Macapá encerrou em grande estilo nesta quarta-feira (31). Os cinco vencedores da competição e seus professores foram premiados com smartphones, e todos os 25 finalistas receberam medalhas. A competição é inédita na rede municipal, e a final aconteceu na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Hildemar Maia, localizada no bairro Trem.

Os cinco finalistas de cada ano escolar fizeram o teste ao mesmo tempo, através do aplicativo Matematicando. Os vencedores foram definidos com base no número de questões acertadas e no tempo de prova. 

A estudante da Emef Maria Luiza Bello, Maria Beatriz, foi a campeã do 3º ano e falou da emoção de conquistar o prêmio. “Eu estudei pra tentar ganhar e consegui. Acho que meus colegas vão ficar felizes quando descobrirem. Achei a prova um pouco difícil, mas eu fiz o meu melhor”, comemora.

O objetivo do evento é promover de forma lúdica o estudo e prática da matemática, como ressalta o secretário municipal de Educação, Rodrigo Gomes. A metodologia se junta a várias outras iniciativas que fortalecem o processo educacional, como os óculos de realidade virtual e o plano de recomposição de aprendizagem.

“Estamos voltando de uma pandemia, e temos que chamar atenção de nossos estudantes para que eles tenham um maior apreço pela disciplina, e essa metodologia tem ajudado bastante. É uma concorrência saudável, e quem ganha é a educação”, explica o secretário.

Para dar apoio e torcida, a comunidade escolar dos finalistas fez questão de marcar presença no evento. Josinete dos Santos, mãe do medalhista Vinicius Ribeiro, afirma que o estudante sempre foi apaixonado por matemática, e realizou empolgado todas as etapas da competição.

“Estou muito orgulhosa dele. Ele é muito dedicado, gosta muito de matemática e de tecnologia também. A família sempre estimulou, e estamos todos muito contentes com a iniciativa”, conta a mãe.

Estratégias pedagógicas como a Olimpíada de Matemática também promovem a união e integração da rede municipal, como ressalta a coordenadora pedagógica da Emef Maria Eugênia, Ana Costa.

“Essa experiência está sendo inesquecível. Quando vimos o resultado dos finalistas, ficamos muito felizes. Somos uma escola rural, e participar de um evento que mobiliza toda a rede, assim, é uma festa. O impacto é muito positivo”, diz a coordenadora.

Mais de 2 mil estudantes participaram desta primeira edição da programação, que envolveu 54 escolas da rede municipal. A Olimpíada será incluída no calendário pedagógico da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A iniciativa faz parte do programa Edutech Amazon, que traz a tecnologia e conceitos neurolinguísticos para a rede municipal.

Educa Macapá promove capacitação em novas metodologias para professores municipais

Durante o mês de agosto, mais de 550 profissionais da educação participaram de formações.

Por Léo Nilo - Secretaria Municipal de Educação

Professores do ensino fundamental participaram de capacitações na escola Esforço Popular | Foto: Ingra Tadaiesky/PMM

Para garantir a qualidade e atualizar as metodologias de ensino utilizadas, a Prefeitura de Macapá promove uma série de capacitações para os professores do ensino fundamental. Neste sábado (27), o encontro aconteceu na escola Esforço Popular, reunindo mais de 120 profissionais da educação.

As formações fazem parte do Programa Educa Macapá, iniciativa que vem transformando a educação no município. O conteúdo abordado foi definido a partir dos resultados da primeira avaliação diagnóstica da rede municipal, realizada em março. A prova identificou os principais tópicos em que os estudantes têm dificuldade. Nas capacitações, os professores aprendem outros métodos para ensinar o assunto.

O professor da escola municipal Profª Guíta, João Guerreiro, é um dos novos profissionais convocados pelo prefeito de Macapá, Dr. Furlan, em 2021. Em pouco mais de um ano de atuação na rede, ele conta que já participou de três capacitações do programa, um reflexo da constante renovação.

“Ser professor está sendo muito gratificante. Em nosso trabalho, precisamos sempre passar por novas formações, para conseguir proporcionar uma qualidade melhor de conhecimento aos alunos”, explica.

Apenas durante o mês de agosto, mais de 550 professores participaram de formações do Educa Macapá. A articuladora do programa, Nádia Serique, afirma que este investimento é uma das estratégias importantes para garantir a qualidade de ensino nas salas de aula.

“O programa já promoveu capacitações com diversos profissionais da educação municipal, de gestores a coordenadores. A formação continuada é um dos nossos principais eixos, para que o professor possa utilizar melhor o material didático do programa”, explica.

Educa Macapá
O Programa Educa Macapá foi criado em 2021 pela Prefeitura, para fortalecer todas as áreas da educação municipal após o período de ensino remoto. A iniciativa é realizada em cooperação com a Associação Bem Comum (ABC).

As ações são baseadas nas experiências de sucesso efetuadas no município de Sobral, no Estado do Ceará. Em apenas 12 anos, a cidade saltou 4.6 pontos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), em relação aos primeiros anos do ensino fundamental.

Além da capacitação dos profissionais, o programa é composto por diversos eixos de atuação, como o acompanhamento constante da rotina das escolas por superintendentes e avaliações diagnósticas. Outras formações serão realizadas ao longo de todo o segundo semestre.