Dia de Finados: Prefeitura inicia cadastramento de empreendedores para atuar no entorno de cemitérios de Macapá

O período de cadastramento ocorre nos dias 25 e 26 de outubro. Fichas devem ser entregues junto com documentos até o dia 27.

Por Alexssandro Lima - Secretaria Municipal de Habitação e Ordenamento Urbano

A Prefeitura de Macapá, por meio da Secretaria Municipal de Habitação e Ordenamento Urbano (Semhou), realizará cadastramento de empreendedores que irão comercializar seus produtos no entorno dos cemitérios da capital. A autorização para o uso do solo no Dia de Finados só será possível mediante o cadastro.

Os formulários preenchidos pelos ambulantes devem ser entregues até o dia 27 deste mês acompanhado de cópia legível de RG, CPF, comprovante de endereço e comprovante de MEI, se houver.

Os ambulantes e empreendedores devem seguir as diretrizes básicas de ordenamento do comércio no entrono dos cemitérios. O cadastro tem a intenção de garantir o ordenamento no entorno dos cemitérios São José (Santa Rita), São Francisco (zona norte) e Nossa Senhora da Conceição (Centro) e contam com a disponibilidade de 120 vagas, sendo:

  • São José – 50 vagas
  • São Francisco de Assis – 50 vagas
  • Nossa Senhora da Conceição – 20 vagas

No dia 2 de novembro os ambulantes e empreendedores serão organizados por ordem de chegada, respeitando o limite máximo de área para cada empreendedor – de 3m² (1,50m x 2,00m) – cuidando para que não haja obstrução do trajeto de pedestres e veículos. Além disso, deve ser observada as recomendações sanitárias contra a Covid-19, mantendo o distanciamento entre as barracas de 2m.

“A intenção é garantir que o passeio público seja ordenado, a fim de evitar transtornos aos transeuntes. Lógico, garantindo aos empreendedores que aguardam esta data que possam ganhar uma renda extra e lucrar com a venda de seus produtos”, explica o secretário da Semhou, Rafael Martins.

O gestor afirma ainda que haverá fiscalização para coibir a presença daqueles ambulantes que, por ventura, quiserem ocupar os espaços sem terem passado pelo processo.

“Esse é um dos feriados mais importantes, de certa forma a economia é fomentada. Os  vendedores informais aproveitam a data para vender artigos como coroas de flores, velas, água mineral e até alimentos. Apesar disso, o objetivo ainda é evitar transtornos e aglomerações nas entradas dos cemitérios, respeitando o distanciamento e medidas de segurança contra o coronavírus”, finaliza.

Levantamento avalia o desenvolvimento socioeconômico da área portuária de Macapá

Prefeitura de Macapá analisa o crescimento econômico de empreendedores do canal das Pedrinhas. Estudo deve ser ampliado para o Canal do Jandiá, Igarapé das Mulheres e Igarapé da Fortaleza.

Por Bruno Monteiro - Secretaria Municipal do Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Inovação

A Prefeitura de Macapá realizou na terça-feira (17), no bairro Pedrinhas, uma ação de levantamento de informações para o banco de dados da área portuária da capital. O propósito da coleta é traçar políticas públicas para os empreendedores da área e acompanhar a evolução socioeconômica do local.

O estudo foi feito através da Secretaria Municipal de Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Inovação (Semtradi).

No total, 49 profissionais foram cadastrados pertencentes ao perímetro entre a rodovia Rodovia JK e a foz do Rio Amazonas. Para isso, a equipe coletava informações como nome, atividades produtivas e documentação pessoal.

“Nosso objetivo é desenvolver economicamente essa área, onde há muitos empregos. Constatamos que há muitas madeireiras, movelarias e até terminais de passageiros que empregam de quinze até trinta pessoas cada uma. Também faremos levantamentos em outros canais, como o do Jandiá, o Igarapé das Mulheres e o da Fortaleza”, disse Rafael Gato, secretário da Semtradi.

“Esse cadastro servirá para executarmos políticas públicas adequadas, como financiamento, de acordo com a necessidade de cada empreendedor, além de fixar um plano de melhorias para o canal, como dragagem”, explicou Sandro Monteiro, diretor de Desenvolvimento Econômico.