Covid-19: Prefeitura de Macapá registra 561 consultas nas unidades de referência nesta sexta-feira, 31

As UBS’s Lélio Silva, Marabaixo, Álvaro Corrêa, Unidade Básica Santa Inês, que são referência no atendimento de casos suspeitos de Covid-19 em Macapá, registraram nesta sexta-feira, 31 de julho, 561 atendimentos de consultas a pacientes com sintomas da síndrome respiratória. Em 24 horas, foram prescritas 480 receitas e a realizados 196 testes rápidos.

A UBS Lélio Silva contabilizou 178 pacientes consultados e a entrega de 219 kits de medicamentos. A unidade Álvaro Corrêa, na zona norte, atendeu 160 pessoas, dos quais 134 receberam a prescrição para o início do tratamento e saíram do local com kits de medicamentos.

Na UBS Marabaixo, foram atendidos 66 pacientes; e na unidade Santa Inês, 157 pessoas procuraram assistência médica com sintomas da síndrome gripal. Em todas as unidades de referência, pacientes com prescrição para o início do tratamento receberam kits de medicamentos. Nesta sexta foram entregues à população 2.085 comprimidos de azitromicina e 1.668 de ivermectina.

Secretaria de Comunicação de Macapá

Karla Marques

Assessora de comunicação

Prefeitura de Macapá beneficia agricultores com construção de tanques de peixes por meio do Projeto Peixe Vivo

A Prefeitura de Macapá retoma as atividades do Projeto Peixe Vivo, iniciado em 2013 pelo Departamento de Piscicultura, com o objetivo de promover o desenvolvimento e fortalecimento da agricultura familiar, por meio do fomento e incentivo da produção e comercialização de peixe em tanque escavado. Com o início dos trabalhos em algumas comunidades, o prefeito Clécio Luís e o secretário de Agricultura de Macapá, Richardson Régio, acompanharam de perto na tarde desta sexta-feira, 31, no distrito de São Joaquim do Pacuí, a realização de escavação de terra para a construção do terceiro tanque de peixe na localidade.

O Peixe Vivo é bastante conhecido na capital por oferecer peixes de qualidade nas feiras de Macapá, principalmente durante a Semana Santa. Mas o que pouco se sabe pela população é como o projeto é desenvolvido e como a prefeitura tem um papel fundamental na produção e comercialização do peixe. Em Macapá, a piscicultura tem crescido, devido ao incentivo do Município, que possibilita ao pequeno agricultor a escavação de tanques, a capacitação e a doação de 1,5 mil unidades de alevinos para o povoamento das unidades de tanques das famílias atendidas.

É importante ressaltar que os técnicos da Secretaria de Agricultura de Macapá acompanham todas as fases de produção do projeto e, quando o peixe chega no momento de comercialização, a prefeitura realiza o descarte e o transporte do pescado vivo do local da produção até as ações itinerantes – Feira do Peixe Vivo e Feira Verde.

Durante a visita, o prefeito Clécio e o secretário Richardson interagiram com a comunidade local, salientando sobre a importância dos trabalhos realizados em parceria com a prefeitura. Atualmente, o número de famílias beneficiadas pelo projeto é de 184 e, desde a sua implantação, já foram realizadas cerca de 59 feiras itinerantes, beneficiando em média 800 consumidores por cada dia de feira.

“O Peixe Vivo é um sucesso. Muito bom para a população e incentiva a produção. Lucros para os agricultores e piscicultores, e economia, em tempos de crise, na mesa do consumidor. Esse projeto existe desde 2013. Desenvolvemos não somente o Peixe Vivo, mas a feira, que é parte do ‘Cinturão Verde’, e toda a sua diversidade de produtos”, pontuou o prefeito.

O secretário Richardson Régio explicou que para participar do projeto o agricultor deve procurar a secretaria e realizar um cadastro. Dessa forma, iniciará um processo administrativo e os técnicos irão até o local para avaliar se atende aos requisitos. “A Prefeitura de Macapá custeia todos os gastos com a implantação do tanque de peixes, a capacitação e o transporte para a comercialização nas feiras de Macapá por meio do Projeto Peixe Vivo”, conclui.

Como o Projeto Peixe Vivo é executado

Antes de construir um tanque, deve-se obter a licença ambiental. Os técnicos vão até o local para avaliar a topografia do terreno e o tipo de solo onde será implantado, bem como fazer a análise da água que o abastecerá. Os formatos de viveiros escavados no solo são os mais comuns e utilizados, pois facilitam o manejo e bem-estar dos peixes. Não podem ser pequenos, o tanque deve medir 2.250 m³ em cada unidade do projeto implantado.

Secretaria de Comunicação de Macapá

Cristiane Mareco

Assessora de comunicação

Prefeitura de Macapá incentiva atividade agrícola na área rural com criação de viveiros de mudas

O prefeito de Macapá, Clécio Luís, juntamente com o secretário municipal de Agricultura, Richardson Régio, visitou na tarde desta sexta-feira, 31, o mais recente viveiro de mudas de plantas construído no distrito de São Joaquim do Pacuí.

Nesse semestre, a distribuição de mudas é de responsabilidade dos agentes distritais de cada localidade. A construção do viveiro faz parte do projeto “Cinturão Verde”, desenvolvido pela Secretaria de Agricultura, com o objetivo de favorecer as localidades, oferecendo matéria prima em grande quantidade e de qualidade.

A estrutura construída no Pacuí é arejada, coberta com lonas transparentes, a uma altura de cerca de 3 metros, que permite a circulação do ar, evitando o contato direto com os raios solares, permitindo, dessa forma, a criação de zonas de sombreamento. Também possui um sistema de irrigação de baixo custo que garantirá a qualidade das mudas por um período necessário.

Atualmente, os viveiros têm 4 pontos: em São Joaquim do Pacuí, Santa Luzia do Pacuí, Santo Antônio da Pedreira e no arquipélago do Bailique. Também tem 2 previstos para serem construídos nos distritos de Tracajatuba 1 e Maruanum.

Durante a visita, o prefeito Clécio acompanhou de perto o empenho dos moradores e ressaltou a importância da agricultura na economia amapaense. “Este é um projeto inovador, que garante a produção de mudas frutíferas e essências florestais nos distritos e comunidades do município de Macapá, capacitando agricultores familiares no preparo de mudas, fomentando a produção agrícola e reflorestamento dessas regiões”, disse.

Para o morador mais antigo do Pacuí, Círio Ramos, a iniciativa da prefeitura na construção dos viveiros é muito importante. “É gratificante saber que as mudas plantadas hoje serão no futuro árvores frutíferas”, conclui.

Secretaria de Comunicação de Macapá

Cristiane Mareco

Assessora de comunicação