Incentivo à leitura: Praça Veiga Cabral será ocupada com leitura no dia 14 de outubro

Ligado . Publicado em Noticias

Com o objetivo de incentivar o gosto pela leitura e democratizar o acesso ao livro desde a infância, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizará no dia 14 de outubro, das 16h30 às 18h, o projeto Leitura na Praça, na Veiga Cabral. Organizado pelas Divisões de Recursos Didáticos e de Educação Infantil, a iniciativa ocupará o espaço com múltiplas atividades de mediação de leitura para receber cerca de 200 alunos da educação infantil (crianças com idade entre 4 e 5 anos) com música, brincadeiras, palhaços, colorido e personagens de histórias infantis.

Será um momento de aprendizado coletivo, no qual as crianças escutam histórias, leem umas para as outras e se divertem livremente, dando asas às suas infinitas criatividades. Os cantos temáticos serão divididos em 10: Meio Ambiente; Cantinho Étnico (O cabelo de Lelê); Leitura e música (Claudevânia); Na magia dos contos de fadas; O encanto das lendas; Criança também tem direitos; Cantinho do gibi; No mundo de Lobato; Historias da vovó e Criança também conta história (livros compostos somente de imagem). Os cantinhos funcionarão por meio de rodízio, com duração de 20 minutos para cada, ou seja, a criança usufruirá de todas as atividades.

A Praça Veiga Cabral, localizada no Centro de Macapá, desde que foi revitalizada pela prefeitura, tornou-se um ponto de encontro e lazer para a população macapaense. Diversas tribos e as famílias voltaram a frequentar o local e se encontram para se divertir, conversar e até realizar aniversários infantis. Cada vez mais a praça está sendo explorada para atividades culturais, e a iniciativa da Semed será uma das primeiras ações de incentivo à leitura naquele espaço. Será um evento voltado a alunos da rede municipal de ensino, mas também será aberto à comunidade.

Alunos de 10 escolas da educação infantil participarão do projeto: Pequeno Príncipe; Tia Madalena; Nilda Portal; Pai Nosso; Cantinho de Amor; Mundo da Criança; Ana Cristina; Moranguinho; Sementinha e Meu Pé de Laranja Lima. “A intenção é, por meio de textos agradáveis, criar o prazer da leitura de forma que o livro faça parte da vida do aluno não só durante as aulas. A leitura em espaços extraescolares insere-se como uma proposta de levar a leitura para espaços menos convencionais, como a praça pública. As histórias serão contadas de forma espontânea, dramatizadas, com o auxílio de recursos visuais e musicais. Sem dúvida será um dia memorável, e outros virão”, explica Vera Lúcia, chefe da Divisão de Recursos Didáticos da Semed (Dired).

Rita Torrinha/Asscom Semed