Programação do Setembro Amarelo encerra com palestra sobre saúde mental

Ligado . Publicado em Noticias

Com o objetivo de provocar o profissional de saúde quanto à ideia de que o suicídio é um problema de saúde pública e reforçar o papel de cada um na prevenção, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) promoveu nesta quarta-feira, 28, palestra sobre saúde mental e prevenção. A programação foi voltada aos profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), Estratégia Saúde da Família, Nasf e Consultórios na Rua, e encerrou as atividades do Setembro Amarelo.

A palestra foi ministrada por psicólogos do Centro de Apoio Psicossocial Infantil (CAPSi) e voluntários do Centro de Valorização da Vida (CVV) - organização não governamental que deu início ao Movimento Setembro Amarelo no Brasil para prevenção ao suicídio. De acordo com o movimento, 32 brasileiros são mortos diariamente dessa forma, taxa superior às vítimas de Aids e da maioria dos tipos de câncer.

 

“Além de romper o tabu e debater o tema suicídio, essa programação tem o objetivo de orientar os profissionais de saúde como identificar sinais e ajudar pacientes, amigos ou familiares que possam estar passando por esse risco. O tema precisa de esforço coletivo para ajudar pessoas falando sobre o assunto, esclarecendo, sensibilizando e estimulando a prevenção”, enfatizou a coordenadora municipal de Saúde Mental, Aimara Freitas.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez casos de suicídio poderiam ter sido evitados se a pessoa tivesse contado com ajuda de alguém. Em Macapá, a Semsa é responsável por manter o Centro de Atenção Psicossocial para Infância e Adolescência (CAPSi), que oferece atendimento clínico a crianças e adolescentes de 3 a 18 anos que tratam de depressão, autismo, transtorno obsessivo compulsivo, retardo mental, esquizofrenia, entre outros. O atendimento é um serviço aberto, comunitário, que oferece atendimento diário de demanda espontânea ou referenciada.

Jamile Moreira/Asscom Semsa